A ALIMENTAÇÃO NA IDADE ESCOLAR

01/08/2017

Artigo escrito pela nutricionista Lusmar Rodriguez

Ouvimos sempre dizer ‘Ele pode comer tudo porque está a crescer’, mas isto não corresponde à verdade. O crescimento das crianças carateriza-se por ser pouco linear, oscilando entre fases de lentidão e fases de crescimento abrupto que correspondem a momentos de alterações de apetite e de ingestão alimentar.

Nestas idades, verificam-se, também, alterações ao nível da composição corporal das crianças, em proporção de massa magra e massa gorda, diferente nos meninos e nas meninas, acompanhadas de um aumento da estatura. É importante manter uma alimentação completa e equilibrada, mas sempre ajustadas às necessidades físicas diárias da criança. É importante, de igual modo, não descuidar a hidratação, sendo que a ingestão diária de água deve rondar cerca de 1,5 litros, incluindo às refeições, evitando bebidas açucaradas e refrigerantes.

A educação alimentar nestas idades apresenta-se como desafiante para pais e educadores, sendo o principal desafio o de consciencializar os mais novos para as escolhas alimentares, tarefa que ganha maior relevância devido à facilidade com que os jovens estão expostos a uma oferta diversificada e a programas de ‘marketing’ completamente aliciadores.

Lembre-se que a melhor ferramenta de educação é o exemplo, principalmente quando 60 % das crianças e adolescentes da Região Autónoma da Madeira não cumprem a recomendação da Organização Mundial da Saúde de consumir mais de 400g/dia de fruta e produtos hortícolas (equivalente a cinco ou mais porções diárias).

É, também, importante a monitorização do peso/estatura, pois estima-se que cerca 7% das crianças portuguesas com idade inferior a 10 anos sofram de Obesidade. Assim, a prevenção é fundamental porque uma criança com excesso de peso tem uma elevada probabilidade de se tornar obesa na idade adulta. Segundo o IAN-AF (Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física), a prática de atividade física desportiva e/ou de lazer programada e regular nas crianças madeirenses é muito baixa (apenas 33%).

Vamos mudar isto! Incentive o seu filho a praticar atividade física e a ter uma alimentação saudável e equilibrada. 

A ALIMENTAÇÃO NA IDADE ESCOLAR